BANDA FELICE ITÁLIA “A banda mais solicitada nas grandes festas italianas”
imagem dos tenores imagem dos tenores imagem dos tenores

CD da Festa de
N. S. Achiropita.
As mais lindas canções Italianas com a participação dos 3 Tenores Brasileiros.
Clique aqui.

cd

Os Tenores - Soprano.

ARMANDO VALSANI
ARMANDO VALSANI - Tenor paulistano, venceu em 1991 o concurso "Projeto Nascente", criado pela Editora Abril e pela USP (onde cursou a faculdade de filosofia letras e ciências humanas). Na ocasião recebeu das mãos do maestro Camargo Guarnieri o prêmio de melhor cantor erudito do País, passando a ser chamado pela imprensa e crítica de “Novo Pavarotti”. Venceu também o concurso “A Melhor Voz Italiana do Brasil” no programa Flavio Cavalcanti.
Armando foi aluno da competente professora italiana Antonieta Pastori, que o lançou no mundo lírico onde passou a realizar concertos acompanhado de grandes orquestras, podendo citar as Sinfônicas de Campinas, Londrina, São Paulo sob a regência de maestros como Diogo Pacheco, Julio Medaglia, Benito Juarez, Jamil Maluf, interpretando árias e duetos de óperas como: Elisir D’Amore , Amico Fritz, Tosca, L’Arlesiana, Traviata, Rigoletto, Luisa Miller entre outras.
Possui uma discografia que conta com quatro LP’s e vinte e dois CD’s, com participações em oratórios, salmos e repertório internacional. Os mais conhecidos são: "Ave-Marias", pela gravadora Comep; "O sole mio" e "Non te scordar di me", pela gravadora Movie-Play e o mais recente “20 Super Sucessos” pela gravadora Som Livre.
Há 17 anos Armando é contratado da "Línea C" Gênova, realizando shows a bordo de navios como Eugênio C, Enrico C, Costa Allegra, Clássica, Tropicale, Victória, Marina, Romântica, Fortuna e outros...
" Armando Valsani é o cantor mais requisitado pelas colônias italianas em todo o país, juntamente com o seu pai Nino Valsani".
Participa dos "TRÊS TENORES BRASILEIROS"desde a criação do grupo há seis anos.

 

RUBENS MEDINA
O tenor RUBENS MEDINA, tem aquilo que, com o tempo, ganhou a alcunha de "voz de celebridade". Em outras palavras, trata-se de uma voz de tenor lírico com grande potência vocal, musicalidade refinada e um legato inspirado, características que despertam quase que instintivamente a sensibilidade das platéias. E, com este material, ele tem se destacado nas principais temporadas líricas do País, em grandes papéis da tradição da ópera italiana: "Rodolfo", em La Bohème (Puccini); "Alfredo", em La Traviata (Verdi); "Cavaradossi", na Tosca (Puccini); "Ismaele", no Nabucco (Verdi); "Canio", em I Pagliacci (Leoncavallo); ou "Turiddu", na Cavalleria Rusticana (Mascagni).

As interpretações destes papéis, assim como o de "Paolo", na Fosca (Carlos Gomes), inscrevem seu nome no cenário lírico atual e já lhe renderam diversas indicações a prêmios como o Carlos Gomes.

O trabalho de Medina, no entanto, não se limita ao repertório tradicional italiano. E, neste sentido, deve-se destacar não apenas sua aparição em concertos sinfônicos, como também a brilhante participação na estréia mundial de Anjo Negro, ópera de João Guilherme Ripper baseada em texto de Nelson Rodrigues.
Esteve em Berlim, na Embaixada Brasileira, apresentando um concerto de canções brasileiras, juntamente com a Mezzo-soprano Adriana Clis e o pianista Ricardo Ballestero.
No Teatro Sérgio Cardoso, apresentou junto a Banda Sinfônica com regência do Maestro Abel Rocha e direção cênica de Iacov, Wolfgang, cantando trechos de Mozart como o Dueto La ci darem la mano, De vieni allá finestra, embora sendo trechos para barítonos, Medina soube interpreta-los com grande desenvoltura.


"Rubens Medina é o novo integrante dos Três Tenores Brasileiros, acrescentando às impecáveis apresentações, o brilho de sua belíssima voz".

 

NINO VALSANI

NINO VALSANI - Iniciou sua carreira artística em 1951 sob orientação do maestro Aldo Petrioli, aperfeiçoou seus estudos de canto lírico e arte cênica na academia chigiana de Siena e Santa Secilia de Roma. Realizou vários concertos nos principais teatros italianos além de apresentar-se em programas de radio e televisão italiana. Gravou a ópera Hulda de César Franch em Milão.
No Brasil fez parte do elenco da Tv Tupi onde apresentou-se destacadamente em diversos programas tais como: Antártica No Mundo dos Sons, dirigido pelo maestro Luis Arruda Paz, e o aclamado Grande Momentos Líricos onde interpretou um total de 25 óperas ao vivo pela televisão.Entre os principais papeis Nino atuou como De Grieux na Manon Lescaut, Pinkerton na Butterfly, Edgardo na Lucia, Alfredo em La Traviata, Turiddu na Cavalleria Rusticana .
Em 1955 recebeu o prêmio Roquete Pinto como o melhor cantor de música erudita do Brasil.
No Teatro Municipal de São Paulo Nino realizou vários concertos e vesperais, além de interpretar com grande sucesso o papel de Rodolfo em La Boheme, dirigido pelo maestro Eduardo Guarnieri.
Nas décadas de 80 e 90 participou de produções da televisão como a novela "A Deusa Vencida" da Tv Bandeirantes, a mini serie "Anarquistas Graças a Deus" e a Global "O Rei do Gado". Gravou vários Cd’s e foi homenageado inúmeras vezes por seu trabalho junto à colônia italiana em todo o Brasil.
"Nino Valsani, o privilégio de ter uma das vozes mais bonitas que o Brasil já conheceu. Há seis anos é um dos integrantes dos "TRÊS TENORES BRASILEIROS".



FRANCISCO ROMANELLI

FRANCISCO ROMANELLI - Tenor de timbre forte e inconfundível. Voz erudita com requinte e acabamento de extremo bom gosto. Interpreta repertório variado.
Discípulo de Neyde Thomaz e Rio Novello vem atuando no meio lírico desde os anos 80.
Juntamente com sua esposa, Maria Helena Romanelli, participou de vários eventos por todo Brasil e exterior, entre eles pela Ford Motors incluindo a campanha do Millenium com gravação do CD do jingle e show dirigido por José Possi Neto. Atua no seguimento de eventos e cerimônias de casamentos sendo considerado o maior cantor de “Ave Marias”de São Paulo.

Tem se destacado também com os cruzeiros marítimos da Línea “C”e festas da colônia Italianas juntamente com Nino Valsani e Armando Valsani, formando
os “Três Tenores Brasileiros”, acompanhados pela Banda Felice Itália por todo o país.

Participou de vários programas de rádio e TV, entre eles “Programa do Jô”, Hebe Camargo, Rede Vida, Francisco Petrônio, Ronaldo Esper, Salomão Schwarzman e outros.

"Francisco Romanelli é uma grata revelação do cenário musical paulistano. Com um repertório invejável agrada e emociona platéias".



SANDRA FELIX

SANDRA FELIX - Bacharel e Mestre em canto pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Cantora do Coral Lírico do Teatro Municipal de São Paulo, atua como coralista e solista, além de apresentar-se em recitais solo de câmara e nas principais festas italianas da cidade de São Paulo. Em 1999 obteve segundo lugar no IV concurso "A Canção de Câmara Brasileira", na cidade de São Paulo. Foi também premiada no VI concurso "Carlos Gomes", realizado no Rio de Janeiro em 97, recebendo o prêmio de melhor interprete da "Canção Brasileira".  Em 2000 gravou seu primeiro CD solo "Canções brasileiras", com a pianista Scheilla Glaser, pela gravadora PAULUS, com obras de doze compositores brasileiros. Em projeto realizado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, participou da gravação do CD "Ópera Brasileira em Língua Portuguesa", com obras brasileiras inéditas. Participou também da gravação de CD com o grupo " Brasilessentia", com repertório barroco brasileiro, viajando pela Itália na divulgação desse trabalho. Durante cinco anos foi  professora do curso de Graduação em Canto da Universidade  Cruzeiro do Sul, UNICSUL.  Solou junto à Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, sob a  regência de maestros  convidados Konstantin Becker (Missa em Dó menor/Mozart)  Giovanni Andreolli  (Missa em Dó Maior/Beethoven) Participou como solista nas montagens de óperas do Teatro Municipal: La Traviata, como Annina; Macbeth de Verdi no papel da Dama di Lady e como Barena, da Ópera Jenufa de Janasek. Apresentou-se no papel principal da ópera Amélia al Ballo, de Menotti nas Vesperais Líricas, no Teatro Olido.No anos de 2007 até a presente data participa de grandes festas italianas em todo o país convidada pelo maestro Feliciano Motta. Apresentando os famosos duetos  junto  aos talentosos Três Tenores Brasileiros é realmente um sucesso, uma voz brilhante, um Show envolvente dignificando e embelezando os eventos da Banda Felice Itália.